Givanogivva

Categoria: Geral

25 out 2014

Espaço do jornalista Givanildo Silva

###

TRE determina Lei Seca de 6h às 18h

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte determinou a suspensão da venda de bebidas alcoólicas em locais públicos, entre 6h e 18h, do domingo (26).

A portaria é assinada pelo presidente do TRE-RN, desembargador Virgílio Macêdo Júnior, e por membros da Corregedoria e Produradoria Regional Eleitoral.

Na publicação, o TRE-RN considera que “o voto consciente deve prevalecer em prol do fortalecimento do processo democrático, que não se coaduna com a ingestão, ainda que moderada, de bebidas alcoólicas, sabidamente capaz de afetar a capacidade de discernimento do ser humano.

***

A simbologia da blusa vermelha de Rosalba. Uma rosa rubra, provavelmente

Num café em comemoração ao seu aniversário (26/10),  metade da manhã deste sábado (25), a governadora Rosalba Ciarlini, na fala de agradecimento aos presentes, disse: “Quem é meu amigo não vota no acordão”,  referindo-se, obviamente, ao ajuntamento de 17 partidos  que apoia o candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Ou seja, liberou os seguidores para fazerem a escolha entre branco, nulo e Robinson Faria (PSD). Só que a chefe do Executivo estava usando blusa vermelha, o que, para os convivas  mais argutos, tem evidente simbolismo à recomendação da líder política mossoroense. Uma rosa rubra, quiçá.

***

Um ponto vai valer cerca de 13 mil votos

Na eleição para o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, neste domingo (26), um ponto deverá valer em torno de 13 mil votos.

Se algum dos candidatos, Henrique Eduardo Alves (PMDB) e Robinson Faria (PSD), ganhar com diferença de 8%, por exemplo, a maioria ficará à volta de 100 mil preferências.

Em Mossoró, observadores independentes preveem vantagem do senhor Robinson Faria superior a quarenta mil. Logo, mais de 3 pontos percentuais do global, o que pode ter importância decisória na sucessão de 2014. Aguardemos, portanto.

***

Decisão da Cabugi de postergar resultado de pesquisa gera especulação

A divulgação de uma pesquisa negativa para o candidato ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Henrique Eduardo Alves (PMDB), nesta sexta-feira (24), significaria morte de véspera.

Talvez, o motivo que levou a TV Cabugi a postergar o anúncio do resultado do último levantamento realizado pelo Ibope, neste segundo turno, antes da eleição. No domingo (26), a emissora pertencente à família do postulante peemedebista fará nova busca de dados, na chamada boca de urna.

Jornal de Fato está fora

Enquanto isso, a Tribuna do Norte ainda não explicou aos seus leitores a inconveniência daquela enquete da Certus, dando vantagem cavalar ao dono do jornal, no final do primeiro tempo da sucessão estadual de 2014.

Viva o Jornal de Fato, do carrancudo jornalista César Santos, que não entra na dança suspeitíssima (questão complicada) das investigações sobre intenção de voto.

fátima e robinson

Partido colhe frutos com popularização de petista que coordena campanha de Robinson Faria e obtém mais espaço na região

O PSD de Gilberto Kassab vislumbra, na candidatura de Robinson Faria no Rio Grande do Norte, sua chance de fincar os pés em um colégio eleitoral de tradição oligárquica no Nordeste. Com a vitória de apenas um governador no primeiro turno – Raimundo Colombo foi reeleito em Santa Catarina – o partido conseguiu desbancar o ex-favorito presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), e é o mais cotado, segundo pesquisas, a vencer a disputa no Estado. A campanha do PSD no Rio Grande do Norte teve como principal estratégia popularizar o partido criado pelo ex-prefeito de São Paulo a partir de uma roupagem social dada pelo PT. Nesse sentido, o papel de Fátima Bezerra, sindicalista ligada à educação, foi essencial.

A petista foi eleita senadora com 808 mil votos, mais que os recebidos pelos dois candidatos a governador  - Alves teve 702 mil e Faria, 624 mil -, e seu resultado nas urnas se deveu à associação que fez do seu mandato como deputada federal à ampliação do ensino profissionalizante no Estado, com a construção de 21 unidades de escolas técnicas – até 2005, só existiam duas no Rio Grande do Norte.

Lula

Fátima assumiu a coordenação da campanha de Faria no segundo turno e teve papel fundamental para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravasse um vídeo de apoio ao candidato do PSD. A participação de Lula, como principal cabo eleitoral de Faria, irritou o presidente da Câmara e a cúpula do PMDB.

Fátima ainda aparece todos os dias nos programas afirmando que seus eleitores têm a “missão” de multiplicar os votos de Faria. “Conseguimos associar à campanha o sentimento popular que clama por renovação”, disse Fátima. O candidato do PSD fala em “política nova” contra “política velha”, embora tenha cumprido seis mandatos como deputado estadual e seja atualmente vice-governador.

“Fátima foi a responsável por levar Robinson ao segundo turno”, diz o cientista político da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Antônio Spinelli. Para ele, “a aliança estratégica” de Henrique Alves, com 17 partidos, falhou ao deixar de lado o PT no nível estadual.

O deputado reeleito Fábio Faria (PSD), filho do candidato ao Governo do Estado, diz que a presença de Fátima foi “fundamental”, para que o pai chegasse ao segundo turno. “Com ela na chapa, conseguimos adesão das pessoas que são contrárias ao continuísmo que Henrique representa”, disse.“Não basta ser presidente da Câmara e fazer acordos com os líderes políticos para ter sucesso nas urnas”.

Resultados

Na sua primeira eleição geral, o PSD, com apenas três anos, elegeu 37 deputados federais em 17 Estados, consolidando-se como a quarta maior legenda. Amazonas foi onde a sigla teve o melhor desempenho em relação às demais legendas – elegeu dois representantes para a Câmara, além do ex-governador Omar Aziz para o Senado. O segundo melhor desempenho foi em Santa Catarina, onde Colombo foi reeleito e três deputados vão estar no Congresso.

No 2º turno, além do Rio Grande do Norte, o partido está em duas candidaturas favoritas: no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul, com os candidatos a vice-governador Renato Santana, da chapa de Rodrigo Rollemberg (PSB), e José Cairolli, de José Ivo Sartori (PMDB).

Por Murilo Rodrigues Alves – O Estado de S. Paulo

Givanogivva

Categoria: Geral

24 out 2014

Espaço do jornalista Givanildo Silva

###

Rosalba desabona acordão e diz que vai prevalecer a resistência

Desfile 30 Setembro_Demis Roussos (6)

Tranquila, serena, sossegada. Era como estava Rosalba ou é como, sempre, fica Rosalba, em casa. Dos mossoroenses, desde ontem (23), recebendo a proteção, o amparo e o afago. Nesta sexta-feira (24), de volta à Rede Potiguar de Comunicação-RPC, em conversa que estendeu-se por quase uma hora com a jornalista Lilian Santana, a governadora tinha o ego alentado. Decerto, não foram poucos os gestos e as palavras de solidariedade, tal a satisfação revelada.

Fez nova prestação de contas, enumerando penca de obras e ações de importância vital, na segurança, na saúde, na educação, na infraestrutura; no ordenamento fundiário, no combate aos efeitos da seca, no apoio à reforma agrária; no equilíbrio das contas, no ajuste fiscal, na recuperação da confiança, no restabelecimento da credibilidade, na atração de investimentos da iniciativa privada; na progressão funcional dos servidores, na valorização salarial; no choque de moralidade, na retomada da probidade, na adimplência restituída, no tapamento de  rombo de quase 1 bilhão de reais.

Mas houve momento puramente emocional. Rosalba Ciarlini, ao avaliar o processo eleitoral, deixou correr lágrimas quando se referiu à armadilha do senador José Agripino, presidente do DEM, negando-lhe legenda e, em decorrência, o direito de, nas urnas, ter o julgamento da sociedade. Foi dura com o ex-aliado, chamando-o de traidor incubado, aquele que não aparenta propensão ao mal, não parece possuir tanta inclinação à ardileza, à cilada.

Mostrou-se magoada com a covardia dos que gratuitamente lhe agridem, lhe atacam, principalmente, por não dispor de espaço equânime  e adequado a realizar o contraditório, a defender-se das injúrias, das inverdades, porém, ao mesmo tempo, confortada ante as reiteradas manifestações de apreço, de respeito, de reverência, de cuidado.

Quanto ao acordão que suporta a candidatura do deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB) ao Governo, a chefe do Executivo o desabonou abertamente, dizendo tratar-se de expediente antidemocrático, autêntica artimanha, todavia o povo, soberano e consciente, segundo ela, não se deixará enganar e, de modo independente, saberá repelir a arapuca a pegar os incautos, ignorará a  repulsiva engenhoca, levantará a bandeira da resistência e soltará o ressoante grito de liberdade.

Termina hoje propaganda eleitoral no rádio e na televisão

A dois dias do segundo turno das eleições, termina, nesta sexta-feira (24), a propaganda eleitoral gratuita veiculada no rádio e na televisão. Também é a data limite para a divulgação paga de propaganda eleitoral na imprensa escrita e para a realização de debates. Nesse último caso, a transmissão não deve ultrapassar a meia-noite.

Carro de alto-falante ou amplificadores de som para divulgação de propaganda está permitido até amanhã (25), véspera da votação, entre as 8h e as 22h. A distribuição de material gráfico, a realização de caminhadas, passeatas e carreatas, além da divulgação de jingles ou mensagens dos candidatos podem ser feitas também até as 22h.

***

Pesquisas de afogadilho são objeto de barganha

A enxurrada de pesquisas eleitorais está colocando-as sob suspeição. Muito dificilmente, depois da peleja de 2014, não se submeterão a importantes mudanças, a disciplinamento lancinante. Inclusive, para isso, o TSE já acha-se acenando. No Congresso Nacional, existem algumas propostas dispondo sobre o assunto tramitando.

Há considerável corrente de cientistas políticos defendendo que os levantamentos sejam feitos unicamente em domicílio e de modo voluntário, espontâneo. Mesmo assim, devem ficar circunscritos a uma informação passageira, de tendência momentânea.

Apenas a título de ilustração, nos países avançados como a França, as buscas sobre intenção de voto passam por rigoroso controle de qualidade, têm severa regulamentação, refreando-as a semanas da eleição, tirando-lhes, consequentemente, a danosa competência de indução, o que, no Brasil,  transformou-se em objeto de negócio obscuro, em elemento facilitador de barganha.

***

Acordão entre Robinson e Rosalba só cabe na cabeça chafurdada de Henrique Alves

Acordão entre Robinson Faria e Rosalba Ciarlini para a eleição deste domingo (26), só cabe na cabeça atormentada do federal Henrique Eduardo Alves. É impressionante como esse cidadão despreza a inteligência do povo que pretende governar. Digno de lástima, de censura e repreensão da sociedade potiguar

Ridículo, mesmo com 44 anos de atividade parlamentar, não ter conseguido, na condição de concorrente ao mais importante cargo eletivo do Estado, avançar, a ponto sequer de estabelecer um debate propositivo, de nível elevado ou, pelo menos, aceitável. Ao contrário disso, mergulhou no nada, reiterando o vazio que sempre lhe foi peculiar, nunca, na vida pública, passando de um deputado com atuação sofrível; e, por vezes, (carência de ação) aquém do razoável. Profundamente lamentável.

O comentarista da Jovem Pan, Reinaldo Azevedo, fala sobre a bomba que estará na capa da revista Veja nesta sexta-feira, que afirma que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula sabiam de todo o esquema de corrupção da Petrobras, que ficou conhecido como “Petrolão”.

Segundo o jornalista paulistano, é matéria farta para provocar a abertura de um processo de impedimento contra a presidente da República e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT).

Confira a capa da revista:

A mãe da ‘herança maldita’

Categoria: Geral

23 out 2014

Gaudêncio Torquato

A expressão “herança maldita”, de tão banalizada, virou carimbo para marcar a feição de governos. Foi inicialmente usada por Lula, em 2003, para dizer que recebeu do ciclo tucano um “país quebrado”. Nos últimos tempos, o termo tem se virado contra o PT, colado aos escândalos de corrupção. Mas a síndrome da maldição de governos tem origem na política. Basta anotar a coletânea de mazelas que se extrai do pleito eleitoral, entre as quais se incluem as coligações proporcionais, a infidelidade partidária e o próprio estatuto da reeleição. A “herança maldita” das gestões é filha da “herança política”.

Veja-se a primeira contrafação: dos 513 deputados federais, apenas 35 receberam sufrágios suficientes para se eleger sozinhos. Os restantes 478 ganharam o mandato pela soma dos votos dados à legenda ou de outros candidatos. O eleitor vota em um candidato, e este puxa outro, de baixa votação; assim, a representação fica distorcida.

A segunda mazela surfa na onda do Estado-espetáculo. Arrumam-se palcos para o desfile de candidatos. De um lado, os candidatos majoritários, com espaços mais largos, apresentam-se sob a batuta dos marqueteiros. Debates entre candidatos majoritários, que deveriam propiciar comparações entre propostas, são engessados por regras e, quando permitem o confronto direto, nivelam-se por baixo, fazendo fluir acusações recíprocas. Já na esfera de candidatos proporcionais, o desfile de caras, bocas e caretas é um espetáculo de non-sense.

COALIZÕES ENLOUQUECIDAS

Na torrente de incongruências, a liberdade dos partidos de optar nos Estados por rumos diferentes dos seguidos por eles na esfera federal afigura-se como estapafúrdia. Ademais, a multiplicidade de siglas funciona como uma engrenagem defeituosa. Teremos, na próxima legislatura, 28 siglas representadas na Câmara Federal.

E o que dizer de um senador sem um voto sequer? É um contrassenso ver chegar à Câmara alta um suplente sem sufrágio no lugar do titular. Na composição ministerial, tem sido comum o convite para senadores ocuparem cargos de ministros ou, ainda, de candidatos aos governos estaduais. É quando o suplente ascende ao posto. O mais lógico seria a ocupação do cargo pelo segundo candidato mais votado no Estado.

REELEIÇÃO INDÉBITA

Para fechar o circuito das mazelas, deparamo-nos com o estatuto da reeleição. Em democracias consolidadas, a reeleição pode ser um eixo de aperfeiçoamento democrático, no entendimento de que o mandato de quatro anos seria insuficiente para um partido no poder concluir sua obra. Em países de instituições políticas e sociais em processo de consolidação, como é o nosso caso, a reeleição bafeja os governantes, eis que, sem se afastarem do posto, usufruem do simbolismo e da força inerente ao cargo. Essa alavancagem contribui para entortar a régua da igualdade.

Um mandato de cinco anos, sem reeleição, cairia melhor na moldura de nossa democracia, pois propiciaria a renovação de mandatários e a oxigenação das estruturas governativas.

Essa é a farta “herança maldita” que o Brasil precisa banir. (transcrito de O Tempo)

Givanogivva

Categoria: Geral

23 out 2014

Espaço do jornalista Givanildo Silva

###

Rosalba vota

De fala interlinear, depreende-se a posição de Rosalba a três dias da eleição

No programa RPC Patrulha, sob a batuta do agradável comunicador Agenor Melo, hoje, na hora do almoço, a governadora Rosalba Ciarlini, depois de nomear dezenas de obras e ações importantes da sua administração, lamentou os ataques gratuitos de que tem sido alvo.

Se disse injustiçada em função da maldade, da deslealdade e da ferocidade como é tratada por pessoas de quem não esperava tanta vileza, tamanha indignidade. Que deixaram-se dominar pela ganância desenfreada, por ambições particulares reprováveis e inconfessáveis, em prejuízo da solidez ético-moral, imprescindível à conduta humana exemplar.

Rosalba garantiu que, mesmo assim, não desistirá de ir até o fim do mandato (31 de dezembro), sem, em momento algum, hesitar, insegurança ou dúvida demonstrar.

Citou, enfim, o testemunho de Mossoró e invocou a cidade que, segundo ela, nunca lhe negou proteção; em tempo nenhum, teve a determinação de faltar-lhe, resultado de cumplicidade sincera,  de autenticidade no envolvimento, de verdade no relacionar(-se), a ajudá-la a enfrentar o aborrecimento, a adversidade superar.

***

prefeito de Mossoró

Prefeito anuncia fim da greve e garante avanços na saúde

O prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, anunciou o fim da greve na saúde, garantindo avanços no setor vital da administração. Valorização salarial dos servidores, progressão funcional e um hospital municipal para suprir a carência, a enorme precisão. Oferta compatível com a demanda. Foi no início da tarde desta quinta-feira (23), no RPC Debate, programa da jornalista Lílian Santana.

Indiferença do eleitor pode chegar a 1 milhão

Diz-me um arguto em eleição que, no escrutínio do próximo domingo, no Rio Grande do Norte, pode chegar perto de 1 milhão o número de eleitores que branquearão o voto, o anularão ou aderirão ao regime de privação voluntária, à abstenção.

Portanto, ao invés de estarem jogando conversa fora, apelando exageradamente ao mau gosto, preferindo a anomalia, a aberração, em detrimento da ideia, da proposição, os candidatos ao Executivo  estadual deveriam, nos instantes derradeiros da propagação, entrar em contundente ação a, pelo menos, mitigar a catastrófica previsão.

Números que dizem quase tudo sobre a sucessão

No Rio Grande do Norte, o processo sucessório se resume a dois pontos fundamentais. O candidato da mudança tem a rejeição da metade dos eleitores, enquanto o postulante da “continuidade” é visto como “o novo” por mais de quarenta por cento do conjunto formado. Quem diz não sou eu. Números pinçados das pesquisas recentes de intenção de voto, levantamentos devidamente registrados na Justiça Eleitoral.

Robinson é o favorito

Apesar dos números  aparentemente divergentes, as pesquisas Certus e Ibope sobre a corrida ao Governo do Rio Grande do Norte possuem a mesma lógica. O favorito é o senhor Robinson Faria, candidato do PSD, embora Henrique Alves (PMDB) ainda não tenha morrido.

Em decomposição

Governar é uma tarefa complicada, muito difícil, árdua. Aos sessenta anos de idade, com a experiência acumulada  em mais de quatro décadas de observação, não tenho nenhuma ilusão.  Sem comunhão, os desafios do Estado e do país não se enfrentarão.

Então, quem não puder ajudar, que num atrapalhe, não. À reflexão das oposições do Rio Grande do Norte, desfiguradas pelo caráter destrutivo, na contramão da contemporaneidade, um autêntico atraso, a mais verdadeira decomposição.

***

Prefeito de Mossoró é alvo também da metralhadora giratória do fanfarrão

Avisei ao prefeito de Mossoró, Francisco José da Silveira Júnior, que tome cuidado com as forças reacionárias, conservadoras deste atrasado torrão, porque encontra-se na mira da récua detestável, de antemão. Esses biltres são capazes de ir às últimas consequências para desestabilizar uma liderança  em ascensão, marchando a tomar de um deles o assento e mandá-lo àquele canto.

Porém, por agora, o jovem alcaide pode ficar tranquilo, pois o oponente de plantão não passa de um fanfarrão, que se gaba de ser o melhor em tudo, que faz alarde da sua falsa valentia, utilizando-se, principalmente, de órgãos de comunicação partidarizados ou  de jornalistas regiamente pagos, de gorjeta na mão.

***

A Casa Civil informou em nota divulgada nesta quarta-feira (22) que o governo decidiu prorrogar por mais 30 dias os trabalhos da comissão que  apura as responsabilidades por erros na divulgação dos dados  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, em setembro.

O IBGE chegou a anunciar que a desigualdade de renda proveniente do trabalho aumentou, mas, um dia depois, informou que diminuiu. O índice de desigualdade anunciado para 2013 era 0,498 – o número correto, segundo o instituto, é 0,495.

O erro afetou diversos índices divulgados, como analfabetismo e o índice de Gini, que calcula o nível de desigualdade no país. O valor desse índice varia de zero (a perfeita igualdade) até um (a desigualdade máxima).

Conforme informou a Casa Civil, portaria será publicada na edição do “Diário Oficial da União” desta quinta (23) comunicando a decisão do governo. Segundo explicou a pasta, a comissão solicitou a prorrogação dos trabalhos em razão de “diligências adicionais” e para elaborar relatório a ser entregue ao ministro Aloizio Mercadante.

Propaganda sem ofensas pessoais

Categoria: Geral

23 out 2014

Nathalia Passarinho

Do G1, em Brasília

As coligações da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, e do candidato do PSDB, Aécio Neves, firmaram um acordo nesta quarta-feira (22) para retirar todas as representações contra propagandas eleitorais protocoladas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desde o início da campanha.

O entendimento foi anunciado pelo presidente do TSE, José Dias Toffoli, e aprovado por todos os ministros da Corte. Desde a última quinta (16), o tribunal passou a suspender e reduzir o tempo do horário gratuito de Dilma e Aécio em punição por usarem as propagandas na cadeia nacional de rádio e TV para “ataques” um ao outro.
Os ministros fixaram entendimento de que o horário eleitoral gratuito só pode ser usado para debater ideias e apresentar propostas. Para dar mais efetividade à nova jurisprudência, o tribunal aprovou nesta terça (21) regras para possibilitar a transmissão de direito de resposta no sábado (25), um dia antes da eleição. O objetivo da medida era desestimular a veiculação de propagandas agressivas nos dois últimos dias de propaganda gratuita no rádio e na TV – quinta (23) e sexta (24).

Com o acordo, o TSE deixará de analisar contestações a peças publicitárias consideradas “ofensivas” pelos partidos. Só nesta quarta, havia 16 representações na pauta de julgamento.
Não serão afetadas pelo acordo as propagandas que já foram julgadas em plenário, como um vídeo suspenso nesta quarta (21) pelos ministros em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chama Aécio Neves de “filhinho de papai”. As campanhas se comprometeram a não veicular vídeos que eram objeto das representações que foram retiradas.

No acordo, ficou autorizada apenas a transmissão de seis inserções da coligação de Aécio Neves que transmitem um áudio de uma entrevista antiga da presidente Dilma elogiando o tucano. A peça havia sido contestada pela coligação da petista e o ministro Admar Gonzaga determinou sua suspensão nesta segunda (21). O plenário do TSE julgaria o caso em definitivo nesta terça. Com o entendimento entre os dois partidos, a propaganda será veiculada em três inserções nesta quinta (23) e outras três, na quarta (24).

O advogado disse que PT e PSDB asseguraram que só transmitirão na próxima quinta e sexta propagandas com apresentação de propostas, sem citar os adversários. Em caso de descumprimento, as duas coligações poderão entrar com representação para pedir direito de resposta.

Ricardo Noblat 

dilma_evo_1

Êpa! Tem jeito de elefante, presa de elefante, tromba de elefante, mas o governo não admite que seja um elefante.  O que será então?

Muita coisa se passou na Petrobras desde que se montou ali um esquema bilionário de desvio de recursos para enriquecer políticos que apoiam o governo e financiar campanhas – a de Dilma, inclusive.

O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu uma auditoria para investigar o pagamento extra de mais de R$ 1 bilhão feito pela Petrobras ao governo boliviano. Tem a ver com a importação do gás boliviano pelo Brasil.

A grana entupiu o tesouro da Bolívia em plena campanha de Evo Morales, o presidente, candidato à reeleição. Por sinal, ele se reelegeu. Pela terceira vez. Aspira mudar a Constituição para poder se reeleger indefinidamente.

Qual o problema do pagamento extra?

Apenas o seguinte: a quantia foi paga a mais sem que nada estivesse previsto no contrato assinado pelos dois países para a compra do gás boliviano.

Quem autorizou o pagamento a mais?

O TCU quer saber.

Por que a Petrobras pagou o que não devia?

O TCU quer saber.

E por que o pagamento, inclusive, retroagiu a meses anteriores ao recebimento da grana pela Bolívia?

Calma. Devagar. O TCU quer saber.

A presidente Dilma sabia?

O TCU quer saber.

Quem sabe ela não se baseou numa parecer “falho” para concordar com o negócio?

Não foi assim  no caso da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras? Pelo menos Dilma diz que foi assim.

campus de Natal

Depois de mais de quatro anos parada, a obra do Campus de Natal, na zona Norte da capital, dá os primeiros passos para ser retomada e concluída. Nessa terça-feira(21), a empresa M&K Comércio e Construções instalou o canteiro de obras.

“Esses são os serviços preliminares. Falta a conclusão apenas de alguns projetos complementares. Mas, são pequenos ajustes”, explica o engenheiro Osmídio Dantas, acrescentando que logo que isso ocorra, a governadora dará a ordem de serviço para a retomada em definitivo da obra.

“Queremos dar a ordem de serviço em breve”, assegurou a governadora Rosalba Ciarlini durante a instalação de seu gabinete de trabalho na reitoria da UERN, em setembro, nas comemorações dos 46 anos da instituição. Na semana passada, na abertura do Festival de Teatro da UERN (FESTUERN), a governadora reafirmou a disposição de ver as obras iniciadas dentro de pouco tempo.

Em setembro, depois de mais de nove meses de trâmites, a UERN conseguiu concluir a última etapa da documentação para a retomada das obras, com a entrega da licença ambiental e o alvará de construção, que o reitor Pedro Fernandes recebeu das mãos do secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (SEMURB), Marcelo Toscano. No mesmo dia, o reitor se reuniu com os secretários de Planejamento, Obery Rodrigues; e da Infraestrutura, Kátia Pinto, e também com a governadora Rosalba Ciarlini, para a elaboração do cronograma de trabalho e cumprimento de todas as normas para o reinício da construção do Campus, que acontecerá nos próximos dias.

A previsão é que as obras do Campus de Natal sejam concluídas em 18 meses. Serão investidos R$ 5,5 milhões, recursos do Pro-Investe, financiamento do governo junto ao Banco do Brasil.

Complexo Cultural- Enquanto as obras do prédio próprio não forem concluídas, o Campus de Natal deverá, a partir de janeiro de 2015, funcionar ao lado, no Complexo Cultural. O prédio já está sendo adaptado, e a previsão é que em janeiro o Campus seja transferido de Neópolis para a zona Norte.

A ordem de serviço para a readequação das instalações físicas do Complexo Cultural foi dada em agosto deste ano, e a previsão de execução é de 120 dias. O investimento é de R$ 193, 8 mil.

AGECOM/UERN

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras vai ouvir na próxima quarta-feira (29) o depoimento do doleiro Alberto Youssef. Ele é apontado pelo Ministério Público como um dos principais integrantes da quadrilha responsável por movimentar R$ 10 bilhões em um esquema de lavagem de dinheiro.

O depoimento está marcado para 14h30. A convocação do doleiro era cobrada principalmente pela oposição, que insistia que a oitiva ocorresse antes do segundo turno das eleições presidenciais.

Para a sessão de hoje estava previsto o depoimento do diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza. Porém, como ele apresentou um atestado médico, a oitiva foi cancelada. De acordo com Vital do Rêgo, ele se compremeteu a comparecer em outra data. José Carlos substituiu Paulo Roberto Costa na função em abril de 2012.

Com informações do congressoemfoco

A Prefeitura de Mossoró deverá recuperar, no prazo máximo de 90 dias, o alambrado de quadra poliesportiva localizada em um conjunto habitacional da cidade. A administração também vai precisar instalar barreiras protetivas nas laterais e na parte superior da estrutura, sob pena de multa de R$ 100 mil, conforme sentenciou o juiz Bruno Lacerda.

O Ministério Público Estadual buscou, via tutela judicial, a reestruturação física da quadra localizada na rua Sinhá Filgueira, no Conjunto Resistência, de modo a proteger transeuntes e pessoas que moram nas imediações. A Prefeitura contestou a ação, afirmando, entre outras coisas, que o objeto da demanda na verdade diz respeito à segurança pública, já que os moradores estariam sendo perturbados pela ação de vândalos que utilizam a referida quadra.

Após ouvir testemunhas, o julgador constatou a omissão do Município ao não providenciar a colocação de barreiras arquitetônicas no equipamento esportivo, causando prejuízos às pessoas. “Primeiro, por se sentirem impedidas de frequentar a praça pública com medo de serem atingidas por bolas. Segundo, porque frequentemente são incomodadas com o impacto de bolas nas portas de suas residências, causando violação ao sossego, à tranquilidade”, relatou.

Para Bruno Lacerda, a obrigação de promover as medidas pretendidas pelo Ministério Público é imposição da própria legislação pátria, não podendo o município, que tem sua atuação pautada pelo princípio da legalidade, deixar de cumprir as prestações positivas que lhe foram impostas.

“É lamentável a recalcitrância da edilidade, pois nem mesmo questões de limitação orçamentária há de ser sopesada, já que a pretensão ministerial não demanda altos custos, sendo na realidade de fácil execução, notadamente quando levado em consideração a quantia recebida mensalmente a título de royalties decorrentes da exploração de petróleo ou mesmo a possibilidade de remanejamento de recursos, circunstâncias que, inclusive, serão consideradas quando da fixação dos prazos e da multa”, concluiu o magistrado.

tropas fedrais

Na última segunda-feira (20), a ministra do Tribunal Superior Eleitoral, Luciana Lóssio, aprovou o envio de tropas federais para as seguintes zonas eleitorais: 40ª (Pau dos Ferros), 57º (Jardim de Piranhas) e 13ª (Santo Antônio).

Assim, 47 municípios do Rio Grande do Norte contarão com tal reforço para garantir a segurança do pleito no segundo turno das Eleições 2014: Macaíba, Ielmo Marinho, Goianinha, Tibau do Sul, Espírito Santo, São José de Campestre, Monte das Gameleiras, Serra de São Bento, Caicó, Jucurutu, Carnaubais, Ipanguaçu, Mossoró, Serra do Melo, Baraúna, Apodi, Felipe Guerra, Itaú, Severiano Melo, Rodolfo Fernandes, Caraúbas, Umarizal, Olho D’água dos Borges, Luís Gomes, José da Penha, Major Sales, Paraná, Monte Alegre, Lagoa Salgada, São Fernando, Timbaúba dos Batistas, Pendências, Alto do Rodrigues, Pedro Avelino, Cruzeta, São José do Seridó, Coronel Ezequiel, Santo Antônio, Passagem, Várzea, Jundiá, Serrinha, Lagoa de Pedras, Pau dos Ferros, Rafael Fernandes, São Francisco do Oeste, Jardim de Piranhas.

Fonte: TRE/RN

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou ontem uma resolução alterando os prazos legais para garantir a apresentação e o julgamento de pedidos de direito de resposta relativos à reta final da campanha.

A intenção é garantir que respostas a eventuais agressões de adversários sejam veiculadas em rádio e televisão inclusive no sábado à noite, pouco antes do segundo turno das eleições.

A resolução foi aprovada pelo presidente do TSE, ministro José Antonio Dias Toffoli, com o apoio de todos os outros seis ministros da corte.

O procurador-geral eleitoral da República, Rodrigo Janot, foi contra a decisão, alegando que ela provocaria insegurança jurídica, com a mudança da lei na véspera da eleição.

Ministério Público Federal e juiz entenderam que doleiro apenas cedeu escritório para traficante receber recursos ilícitos

Daniel Haidar, Veja

alberto_youssef_1

O doleiro Alberto Youssef foi absolvido no primeiro processo julgado a partir das investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que revelou o desvio de recursos da Petrobras e a lavagem de mais de 10 bilhões de reais. A sentença foi divulgada ontem. Neste processo, Youssef era acusado de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Na denúncia responsável pela abertura da ação penal, os procuradores da República entenderam que o doleiro ajudou o traficante René Luiz Pereira a movimentar recursos ilícitos obtidos pelo comércio de drogas. Mas, nas alegações finais, o MP entendeu que somente havia prova de que Youssef cedeu o escritório para que o traficante recebesse 36.000 dólares enviados por uma comparsa.

Governadora participa do Prêmio Educador nota 10 01

Governadora participa do Prêmio Educador nota 10 05 (1)

A Governadora Rosalba Ciarlini participou na noite desta segunda-feira (20), em São Paulo, da entrega do Prêmio Educador Nota 10. Entre os vencedores estava o professor potiguar Emanuel Alves Leite, que durante o ano de 2013 lecionou na Escola Estadual Professora Maria Lourdes Bezerra, em Macau. Ele ficou entre os 10 contemplados pelo prêmio Educador Nota 10, dado em parceria pelas Fundações Victor Civita, da Editora Abril, e Roberto Marinho, das Organizações Globo.

A Chefe do Executivo e a secretária estadual de Educação, Betânia Ramalho, foram convidadas pelas Fundações Victor Civita e Roberto Marinho para participarem da solenidade e foram acompanhadas pelo secretário Chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, e o secretário de Comunicação Social, Paulo Araújo.

A Governadora foi recepcionada pela presidente da Fundação Victor Civita, Maria Antônia Civita. Também estava presente a presidente do Instituto Itaú Social, Neca Setúbal. A festa foi apresentada pela jornalista da Rede Globo, Sandra Annemberg.

“A série de prêmios de abrangência nacional, que recebemos nos últimos dois anos, tem mostrado que estamos no caminho certo. Há muito ainda a ser feito, mas o exemplo do professor Emanuel, selecionado entre 3 mil colegas, mostra que já começamos uma pequena revolução por meio da educação no nosso estado”, declarou a Governadora.

Formado em Teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Emanuel “Coringa”, como é mais conhecido, desenvolveu o trabalho “Lugar de Circo É na Escola” com o objetivo de levar a arte circense para as salas de aula da escola em Macau. “Contei com o apoio total da direção, que abriu as portas e apoiou minha ideia”, explica o mestre-ator, que teve o trabalho vencedor avaliado entre cerca de 3.500 projetos enviados de todo Brasil. Desde o começo de 2014, Emanuel faz parte do quadro da Escola Estadual Santos Dumont, em Parnamirim.

O Prêmio

Entregue desde 1998, o Prêmio Educador Nota 10 é o maior e mais importante do gênero na América Latina, já laureou 180 mestres nesse período e a partir de 2014 passou a ser realizado em parceria pelas duas maiores fundações dedicadas à Educação no Brasil. Os dez trabalhos vencedores foram escolhidos por um júri de especialistas e precisavam ser aplicados com o objetivo de desenvolver o ensino e a aprendizagem de crianças e jovens.

ASSECOM/RN

Ficaram mais caros carne, cerveja, frango, arroz e energia elétrica.

Em 12 meses, índice acumula alta de 6,62%, acima do teto da meta do BC.

Do G1, São Paulo

inflação

Foto: Vianey Bentes/ TV Globo

Em outubro, a carne e a cerveja ficaram mais caras e influenciaram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), conhecido como prévia da inflação oficial. Depois de avançar 0,39% em setembro, o índice acelerou para 0,48% no mês seguinte, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No ano, o indicador acumula alta de 5,23% e, em 12 meses, de 6,62%, acima do teto da meta de inflação do Banco Central (BC), de 6,5% ao ano. Em outubro do ano passado, o IPCA-15 mostrou a mesma variação do 10º mês deste ano, de 0,48%.

Segundo o boletim Focus divulgado pelo BC na véspera, a expectativa dos economistas para a inflação deste ano ficou em 6,45%. Para 2015, a previsão do mercado ficou estável em 6,30%.

Entre os itens de consumo analisados pela pesquisa, os alimentos foram os responsáveis pelo aumento da inflação. Nesse grupo, a alta passou de 0,28% para 0,69%, puxada pelos preços das carnes, que subiram 2,38%, da cerveja (3,52%), do frango (1,75%) e do arroz (1,35%).

O segundo grupo de despesas que mais influenciou o desempenho do IPCA-15 foi o relacionado à habitação, cuja taxa subiu de 0,72% para 0,80%. A energia elétrica ficou 1,28% mais cara e o gás de cozinha, 2,52%.

Também avançaram os preços de vestuário (de 0,17% para 0,70%), saúde e cuidados pessoais (de 0,30% para 0,37%) e despesas pessoais (de 0,31% para 0,40%).

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte informa que a eleição no estado transcorrerá normalmente das 8h às 17h e os primeiros boletins do resultado da eleição para governador deverão ser divulgados por volta das 17h30.

Quanto ao resultado da eleição presidencial, o Tribunal Superior Eleitoral vai bloquear a divulgação até as 20h (horário de verão – 19h, aqui), em função do horário de verão em alguns estados da Federação e fuso horário diferenciado.

Fonte: TRE/RN

Obra

A Governadora Rosalba Ciarlini visitou, na manhã desta sexta-feira (17), as obras do Pró-Transporte, acompanhada da Secretária Estadual de Infraestrutura, Kátia Pinto. O projeto irá ligar o Gancho de Igapó a Ponte Newton Navarro, facilitando o acesso dos moradores da Zona Norte de Natal a BR-101 e Aeroporto Aluízio Alves.

A Chefe do executivo esteve no prolongamento da Avenida Moema Tinoco, onde está sendo feita a colocação do asfalto em um trecho de 3km de extensão para facilitar o acesso dos motoristas a BR-101. A expectativa é que esteja concluído até o final do mês.

Várias equipes estão atuando nos trechos onde os serviços foram iniciados. O projeto inclui a construção de dois eixos de pista dupla, sendo o primeiro o Eixo Fronteiras, que sai do Gancho de Igapó e percorre as Avenidas das Fronteiras, Rio Doce, Tocantínia e Moema Tinoco, totalizando 6,4km. O segundo eixo é o Moema Tinoco/Conselheiro Tristão, que inclui implantação e duplicação de 4,6 Km de via, desde o Viaduto da Redinha até a Avenida Tocantínea.

Além disso, o Pró-Transporte conta com 11km de ciclovia, que vão trazer grandes melhorias na mobilidade dos moradores, e as rotas dos dois eixos serão alargadas e contarão com corredores de ônibus.

O objetivo é melhorar o tráfego e facilitar os acessos a pontos importantes. “Esse é um investimento importante para a população que mora na Zona Norte e para quem precisa trafegar por aqui para ir ao aeroporto ou ao litoral norte”, declarou a Governadora.

Desapropriações

O Pró-Transporte está sendo realizado em etapas em função das desapropriações que estão sendo feitas ao redor das vias. De acordo com a Secretária de Infraestrutura, Kátia Pinto, 45 imóveis foram desapropriados nos últimos 8 meses, sendo 98% dos casos realizados sem qualquer dificuldade, já que os donos dos imóveis têm acatado os valores sugeridos para as desapropriações.

A Secretaria realiza um trabalho conjunto com profissionais como engenheiros, advogados e assistentes sociais para garantir que o processo aconteça sem danos para nenhuma das partes. Para a implantação das obras, será necessária a desapropriação, total ou parcial, de cerca de 450 imóveis.

Assecom/RN

GAF
Alex Viana, repórter de Política – Jornal de Hoje

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho (PMDB), se pronunciou sobre a pesquisa Ibope, que apontou “virada” de Robinson Faria (PSD) sobre Henrique Alves (PMDB) na disputa pelo governo do Estado neste segundo turno. Ele se disse “surpreso” com a pesquisa, mas conclamou a militância a “não morrer de véspera, que nem peru”, vez que a eleição ainda não estaria decidida. “O eleitor nosso não pode arriar a bandeira. O que posso dizer é que a eleição não está decidida. Só se decide depois do último voto depositado na urna”, afirmou o ex-governador, em entrevista ao jornal O Mossoroense, neste fim de semana.

“Não vamos nos deixar levar por esse sentimento. Nós vamos ganhar essa eleição se Deus quiser. Não vamos morrer de véspera, que nem peru”, disse o ministro, ao mencionar que não houve uma mudança substancial na campanha que justificasse a ultrapassagem de Robinson na preferência do eleitorado. “É como se o candidato adversário tivesse levado grande parte dos números de Robério Paulino e grande parte dos votos brancos e nulos”, admite.

Afirmando que, às vezes, institutos de reconhecida credibilidade, como o Ibope, erram, Garibaldi apelou para que o eleitor de Henrique não se abata. “Creio que as pesquisas às vezes cometem erros. Não estou afirmando categoricamente que a pesquisa está errada. Para dizer isso eu tenho que ter dados e eu não tenho condições de provar. Quero apenas advertir, no bom sentido. Primeiro, ao eleitor de Henrique Alves para que ele não leve a termo essa pesquisa. A eleição não vai ser decidida por uma pesquisa, não se abata”, declarou o ministro.

A pesquisa Ibope no segundo turno, divulgada na quarta-feira da semana passada, deu 54% das intenções de voto para Robinson, e 46% para Henrique. Diante das próprias reflexões, Garibaldi apelou para que o eleitor de Henrique não “arrie a bandeira”, mas faça como o próprio ministro, que, neste fim de semana, esteve em Mossoró fazendo campanha para o candidato dele.

“O eleitor de Henrique tem que ir à rua, como estou fazendo em Mossoró, rodando em busca do eleitor. O eleitor nosso não pode arriar a bandeira. Ele deve seguir dizendo ao indeciso que ele não pode se deixar levar por um sentimento de protesto. O que posso dizer é que a eleição não está decidida. Só se decide depois do último voto depositado na urna”, afirmou o ministro, ainda na entrevista à imprensa mossoroense.

JUSTIFICATIVA

Ao ser provocado a explicar a derrota de Henrique em municípios onde o peemedebista havia costurado apoios históricos tanto com governistas quanto com oposicionistas, caso de Assú e Pau dos Ferros, Garibaldi afirmou que a população, nesses locais, não assimilou bem a proposta de união de forças defendida pelo candidato. Para o ministro, ali, em vez de somar, houve subtração de votos.

“Eu acho que houve uma municipalização da eleição nesses municípios e, em face disso, as pessoas não assimilaram aquele entendimento proposto em termos altos pelo deputado Henrique Alves, de juntar esforços para evitar uma radicalização e pudessem somar votos para o projeto político de Henrique, que é o melhor. As pessoas entenderam que deveria prevalecer a radicalização. Não deixaram se convencer pelo discurso do deputado Henrique, fazendo com que houvesse certa confusão que fez com ele perdesse a eleição nessas cidades. A aritmética, em vez de somar, diminuiu”, constatou.

Ministro desiste de entregar cargo e de romper com o PT

Ainda em sua entrevista, Garibaldi voltou a criticar o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva por participar da campanha no rádio e na TV de Robinson Faria. Mesmo se aliando a José Agripino (DEM), principal adversário do PT no plano nacional, o ministro esperava que Lula ficasse neutro na campanha. Na semana passada, Garibaldi chegou a admitir, publicamente, que poderia entregar o cargo no Ministério da Previdência e romper com o PT. No entanto, na entrevista ao Mossoroense, o ex-governador disse que a posição seria uma atitude isolada que não teria repercussão.

“Houve uma preocupação grande. O ex-presidente Lula nos atropelou como aliados. Ignorou a nossa participação na campanha porque votamos em Dilma e fez a propaganda do adversário e isso gerou uma cobrança dos nossos correligionários. Não apenas dos peemedebistas, mas, dos outros partidos, porque a nossa coligação é muito ampla. Mas, é preciso ter cautela antes de uma atitude revanchista a ser tomada isoladamente que Henrique pudesse tomar em detrimento da candidatura de Michel Temer à Vice-Presidência. Isso levou a nós termos uma maior cautela a respeito dessa reação”, afirmou Garibaldi.

Instado a falar se o rompimento com o PT estava na ordem do dia, Garibaldi negou afirmando que o vice-presidente da República e companheiro de chapa de Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, Michel Temer, conduziria os acertos políticos com a cúpula nacional do PT. “Não, no momento não; não passa. Não quero tomar uma atitude isolada que não teria nem essa repercussão toda. Isso deve ser examinado no plano nacional. É preciso aguardar que Michel Temer é candidato a vice-presidente”, disse o ministro.

  • kerginaldo: Não esqueça meu caro givva que ROSALBA é a maior eleitora de Mossoró, em 2016 ela tá de volta e [...]
  • Francy Granjeiro: Chiquérrima nossa presidente na ONU. Parabéns presidente, depois de Lula e Dilma o Brasil nunca ma [...]
  • geiza kelly: não estou conseguindo fazer inscrição para fazer o curso de LIBRAS,como faço?? [...]
  • lucio maia: No dia deste fato eu Jose Lucio Maia Filho estava presente, pois era o secretario da diretoria hoje [...]
  • ilielson: Isso deveria ser chamado de horario da mentira..... [...]
outubro 2014
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031